domingo, 10 de maio de 2015

acreditar





















(Release - Pearl Jam)

acordei em uma manhã de frio e nevoa
o corpo tem dificuldade no despertar
e a porta da rua tem muitas trancas
o destino é livre e leve feito o calor

eu vejo o futuro em um sonho antigo
eu posso subir por ele e além
mas ainda estou trancado e com frio
tentando acreditar

apesar dessa condição confinada
continua a ser uma porta
ela foi feita para libertar
e eu para acreditar em meus sonhos

(Bruno Tadeu Lopes)

3 comentários :

Natália Bayeh disse...

Não existe nada que me incomode mais do que o frio.
E nada que me apavore mais do que ficar aprisionada.

Preso e com frio. Desesperador.

Felizmente os poetas não são cegos.
Conseguem ver que as portas se abrem.

Bruno Tadeu Lopes disse...

Suas palavras são a porta que me libertam, minhas palavras são calor para sua vida.
Nosso diálogo vai além da troca de informação; somos sentimentos vivos, e você me completa.
só sou cego em um momento, digo,
assim como o amor é cego por não ver, mas sentir, eu sou cego por você. E nesta condição as portas só revelam que o destino está conectado dentro de nós.

Natália Bayeh disse...

Eu leio e releio e não me canso.
Porque os diálogos do dia a dia não conseguem emitir um terço dessa energia?