domingo, 27 de fevereiro de 2011

Confete no céu de fevereiro


Iluminando a fantasia
O dia se inicia
Na avenida fervente
O bloco anuncia
A vida é logo à frente
Havia nisso toda folia
O sorriso abre enfeite
Batucando sua alegria
Colorido, colorido
Jogue ao ar a luz do dia
Celebrando até o fim
Quando a Quaresma anuncia
Suas cinzas convertidas
Na mudança de vida
Caindo do céu
Confetes
Nas lembranças de nossos dias

(Bruno Tadeu Lopes 14.fev.2010.)

abrindo-se em caminhos remendados

A seqüência é vivida.
Poderíamos interrompê-la.
Não existe retorno nem remendo.
E no final da corda seu laço não enforca nem condena.
É este o breu em que podemos enxergar.
E a tristeza só existe porque assim sentimos.
A felicidade,
Ah, a felicidade...
É feliz que nem sente.


(Help! - Caetano Veloso (The Beatles) )