sábado, 28 de agosto de 2010

Solidão


Ah, existência desse dia que me arranca cá de dentro essa agonia. Que me expõem ao sofrimento de uma noite fria na solidão maldita. Longe de ti, onde os pensamentos me espantam a alegria, imagino sua presença, seu perfume enlaçando nossos braços, encontrando nossa harmonia. Por que tão sozinho me quis esse dia? Tempo, sopre para longe minha tristeza e faça girar a bailarina.
(Bruno Tadeu Lopes)

(Salto No Vácuo Com Joelhada - Curumin)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Simplificando



----------

For No One - Caetano Veloso (The Beatles)
-----------
Talvez não existam motivos, mas simplesmente nos ocorrem aparições avulsas de pessoas em nossas vidas, e damos-lhes algum significado para que possamos entender sua presença ou sua desaparição repentina. Não há de se espantar, não há de se magoar, mas deixar-se agraciar qualquer dúvida insistente, sabendo que algo existiu e complementou sua vida enquanto estiveram conectados por um laço qualquer. Mesmo se as lágrimas caírem, mesmo se o sorriso teimar não se abrir, ficarão armazenadas em nossa mente tudo que um dia foi possível e os caminhos novos que a partir dali surgiram, feito a aparição de uma miragem. Mas se você ainda não percebeu que não é mentira o que um dia esteve ao seu lado, mais complicado que alcançar suas saudades será pisar ao tapete que estende seu novo percurso. Desprezar a tristeza é impedir o significado da felicidade. Esquecer de viver para o futuro é inutilizar o passado. A vida é presença, é solidão, é continuidade, é término. Tudo em meio a multidão que vem e vai sabe-se lá para qual destino.

Hoje o sol saiu entre nuvens cinzentas. Eu olhei para o céu, senti o calor brilhar em meu rosto... e ri com os ventos frios. É tão simples ser feliz.

Bruno Tadeu Lopes

Foto: Luis Antônio Lopes

sábado, 14 de agosto de 2010

Infância da Alma


A vida é a infância da alma...Um pássaro que voa sem volta de estações


(Paciência-As Chicas)

O texto abaixo é um comentário meu feito no blog Black & White da Mona Lisa para uma postagem dela (Isto Deixou-Me A Pensar...) do mês passado (Julho). Ao me responder ela diz que eu deveria fazer de meu comentário um post. Pois bem, aí está. Gostei da idéia e assim fiz.

O bom é que a inteligência nunca vai me cegar por completo, diferente da ignorância.
Sempre haverá um fecho de luz que me indicará onde ficam todos os medos, desvios e coragens bem iluminados... é só escolher. Quero fazer tanto, tenho mais sonhos do que deveria ser permitido, mas não tenho medo de revelá-los.
Tenho muitos motivos para me esconder, fechar os olhos e me perder em caminhos desconhecidos, sem saber para onde ir. Mas quero pegar o vento de frente, quero enfrentar a fúria de um mar se for preciso. Ampliar meu horizonte, minha cultura, minha inteligência, só ampliaram meu amor pela vida que terei. Saberei o que fazer, mesmo não sendo de imediato. Saberei qual caminho seguir, mesmo sendo muitos até o indicado a ser considerado como certo. E vou percorrer o máximo que minha alma agüentar carregar essa carcaça. Não vou me desorientar pois minha bússola fica entranhada em meus olhos.
“Mr. Play It Safe was afraid to fly”?!
Eu mergulhei no abismo para alcançar ventos intensos até um rio desgovernado. A selvageria da minha inteligência tornou tudo tão simples quando percebi a infância que é a vida. Um instante breve e necessário, onde não vejo tempo para o poder, para a guerra, só vejo certo um fim misterioso no sopro da tão sonhada vida. Vou voando como um pássaro, sem volta de estações. Sou como quem está encharcado no temporal e abre os braços para sentir toda a chuva escorrer pelo seu corpo.A inteligência me leva a extremos picos de satisfação. A vida será sempre incompleta, por isso não colocarei ponto final na minha história, sem medo de não concluir o que deveria ser feito, pois sou feliz.



terça-feira, 3 de agosto de 2010

Falsos Cometas


(Black - Pearl Jam (aovivo2005apoteoseRJ)

(para Inaiara Peixoto)
Hoje é como se o dia clareasse só para mim e me fizesse ver o tanto que a fiz sofrer.
Tudo foi tão breve que... não tive tempo de enxugar as lágrimas que você derramou, imaginando como seria se fossem todos estes falsos cometas transformados em um mundo, mobiliado para nós dois. Você queria me acolher, mas no momento teu sonho tornara-se inalcançável, como a sombra do teu rosto para mim.

Bruno Tadeu Lopes (2005)
-------------------------------------------------------------------------------------------------
É sempre nos teus cantos sonoros
Que eu bebo inspiração.
(...)
Donzela, esta vida
Se eu tanto pudera,
Quisera
Te dar;
Se um beijo eu pudesse
Ardente e fugace
Na face
Pousar.

Machado de Assis
-------------------------------------------------------------------------------------------------

ilustração: Kelzinha Sharamor no Gartic